treinar cabelo oleoso

como mencionei no post anterior (e parece que alguns ficaram curiosos), sim, é possível treinar cabelo muito oleoso e passar a lavá-lo as vezes por semana que nos apetecer, em vez de ficarmos presos às lavagens diárias.
não nos poupa só tempo de sono e de vida, poupa água, produtos (até podemos começar a pensar em investir um bocadinho mais em coisas melhores), e o ambiente…

é um processo relativamente fácil de compreender mas menos confortável de executar, porque exige que estejamos à vontade com o facto de que nem todos os dias o nosso cabelo vai estar no seu melhor, até ao momento em que, finalmente, estabiliza.

qual é a lógica por detrás disto de “treinar”o cabelo?
já falei nela: quando removemos os óleos do nosso cabelo/pele, ele vai sentir-se desidratado e desprotegido e começar a produzir mais óleo para compensar.
isto acontece muito com champôs muito abrasivos, mas também viciamos o cabelo com a simples lavagem — quanto mais frequentes forem, mais o cabelo vai querer proteger-se, perpetuando a necessidade de o lavar com frequência.
obviamente que a ideia não será barrá-lo com gordura a ver se percebe a mensagem — acreditem, não vale a pena tentar — mas sim ir habituando-o ao facto de que afinal não precisa de estar em constante modo de alerta e, eventualmente, ele vai recuperar o seu equilíbrio natural. pensemos numa clínica de desintoxicação para o cabelo…

vou chamar “ciclo de lavagem” ao intervalo entre o momento em que lavamos o cabelo e o momento em que temos de o lavar outra vez. por exemplo: para a maioria das pessoas, que lavam o cabelo dia sim dia não, o seu ciclo de lavagem é de 48 horas.

a nossa pele/escalpe está em constante regeneração, pelo que demora cerca de um mês a refazer completamente a sua estrutura. assim, tal como devemos dar um mês a um creme novo que queremos experimentar para ver se realmente começa a mostrar resultados, os ciclos de lavagem devem ser aumentados em incrementos a que o escalpe se possa ir habituando com calma, ou seja, usando esse mês como medida.

por isso, a minha proposta é acrescentar mais um dia sem lavar o cabelo, a cada mês.
as primeiras semanas de cada ciclo de lavagem nunca são divertidas. no entanto, o cabelo acaba por habituar-se aos novos ciclos.

eu, que lavava o cabelo todos os dias, passei a lavá-lo dia-sim dia-não. depois aumentei para de dois em dois dias. depois para três. e por aí fora até atingir o meu objectivo de dois a três dias por semana.

se quiserem ir pelo caminho lento mas seguro, usem a medida do mês (ou até um bocadinho mais).
se quiserem ir pela faixa de aceleração, podem usar o método de observação: quando começarem a notar melhorias no cabelo no novo ciclo de lavagem (vulgo “não está tão nojento como de costume”), comecem outro com mais um dia.

eu optei por começar este “treino” quando entrei de férias, pelo que nas primeiras semanas estava mais descansada com o facto de não me sentir espectacular. depois, já estava metida naquilo e queria terminar.

coisas a ter em mente durante o processo:

1. evitar champôs adstringentes — como expliquei acima e no post anterior, esta não é a melhor altura para limpar o cabelo a fundo à maluca, porque o vai desequilibrar outra vez. não vamos dar droga a um toxicodependente em recuperação, certo?

2. manter o cabelo limpo o máximo de tempo possível
. evitando chapéus — a ideia de esconder o cabelo num chapéu é apelativa, mas os chapéus estão em constante contacto com o escalpe, e por isso, além de o abafar e criar suor, estão como que a massajá-lo, estimulando o couro cabeludo a produzir óleo. se isso é espectacular quando lavamos o cabelo, não é óptimo passar o dia todo nisso.
. evitando escovar muito a zona das raízes — mais uma vez, massagens no escalpe ajudam a produzir óleo.
. evitando produtos de penteado — mousses, lacas, sprays disto e daquilo, protectores de cabelo, nanana… isso tudo cria uma carapaça de nhanha no cabelo que, enquanto ele está em processo de recuperação, não ajuda nada ao seu equilíbrio.
. evitando produtos hidratantes na zona das raízes — porque… óbvio.

3. champô seco é o nosso melhor amigo — absorve óleos em excesso, dando um tempo extra ao cabelo antes de termos de o voltar a lavar. é bom de usar mais para o fim do ciclo. além disso, cria alguma textura no cabelo que podemos aproveitar para fazer penteados sem calor — tranças e apanhados — que evitam que tenhamos de estar sempre a olhar para o cabelo…

4. paciência e determinação são as palavras-chave para este processo.

5. se estão a considerar pintar o cabelo para ajudar a secá-lo, falem com o vosso cabeleireiro. os produtos usados hoje em dia são mais focados em manter o cabelo saudável e alguns podem até ser demasiado hidratantes para o objectivo. além disso, lembrem-se que, se o objectivo é manter as raízes secas, terão de reaplicar a tinta com frequência (a cada mês ou 3 semanas). é um compromisso e um investimento. eu não optaria por usar produtos de supermercado para isto (demasiadas variáveis que podem correr mal, a começar pelo colour-matching), mas é só a minha opinião.

Uma opinião sobre “treinar cabelo oleoso”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s