a minha experiência com Isotretinoína/Roacutan

este é um vídeo diferente e é O vídeo que eu queria fazer desde que me meti na loucura de ter este canal (além de mimar a minha irmã à distância).
vou falar a sério e honestamente da minha experiência pessoal, que quero que encarem precisamente como isso

a Isotretinoína ou Roacutan é um medicamento baseado na Vitamina A bastante forte que deixa o fígado em esforço — isso vem logo nos resultados dos exames ao sangue. a maioria das pessoas tem apenas os efeitos secundários mais comuns (secura extrema e hiper-sensibilidade da pele, dores articulares, etc.).
os efeitos do medicamento não são permanentes em muitas pessoas: ao fim de uns anos, o acne volta. mais fraco, mas volta.
hoje em dia, pelo que sei, há dosagens muito menores deste medicamento e inclusive cremes e outros tratamentos tópicos (com receita médica) muito menos agressivos que, por isso mesmo, podem ser usados com muito mais segurança.

não quero com este vídeo alarmar ninguém, apenas criar a noção de que há a eventualidade real de que apareça outro género de sintomas que parecem completamente desligados do tratamento e, se isso acontecer, que os consigam reconhecer e fazer a ligação para mais rapidamente do que eu poderem lidar com isso da forma adequada.

os efeitos secundários/sintomas são ansiedade, depressão, ataques de pânico, pensamentos suicidas.
a melhor arma é o conhecimento. falem com pessoas, leiam, informem-se, e certifiquem-se de que, se seguirem com este género de tratamento, confiam totalmente que o/a dermatologista que vos vai acompanhar não descarta este género de efeitos secundários espoletados pela Isotretinoína, e que tem um plano para lidar com isso — que não inclua sacar do bloquinho e receitar Xanax à maluca.

cruzei-me com demasiadas pessoas que passaram por situações semelhantes aquando/posteriormente à toma deste medicamento para acreditar nos números oficiais de ocorrências.

penso que isso, em certa medida, pode dever-se ao facto de as pessoas não associarem as duas coisas e presumirem que simplesmente estavam deprimidas/com problemas/whatever, e que aquilo aconteceu paralelamente ao tratamento, sem qualquer relação causal. no entanto, o desequilíbrio químico e hormonal criado pela vitamina A pode deixar o corpo com muito menos capacidade para lidar com stress, ansiedade e depressão, espoletando estes sintomas que, de outra forma, não chegaríamos a ter.

o que é facto é que somos mais fortes do que pensamos e, *se* acontecer, também isto vai passar. mas custa muito enquanto não passa e é uma angústia enquanto estamos a ter um ataque de pânico e depois mais angústia a pensar quando virá o próximo. os meus ataques de pânico duravam dias seguidos, e depois deixavam-me numa fragilidade quase paralizante, que tornavam a ida para o trabalho num desafio hercúleo…
uma pessoa até se esquece de que está com a pele bonita — a teoria do “eu  vou eliminar a causa da minha tristeza (o acne), por isso não fico deprimido” cai por terra num instante, infelizmente.

por isso é medir os prós e os contras, nem toda a gente poderá querer/estar preparada para lidar com isto, especialmente se já tiver antecedentes de depressão ou ansiedade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s