produtos multi-tarefa para dias com pressa

cair de borco na cama ainda vestido ou sair de casa ainda com o risco de baba no canto da boca são coisas que já aconteceram a toda a gente.

sendo que nas alturas em que estamos cheios de pressa costumamos reduzir os cuidados de pele a um mínimo demasiado próximo do “mais valia não te dares ao trabalho”, fui à procura de produtos que podem ser usados em rotinas minimizadas sem perder o carinho e qualidade de nutrição que devíamos dar à nossa pele todos os dias.

Na sua maioria, podem obviamente ser utilizados em conjunção uns com os outros ou com outros produtos das rotinas “normais”.

clica para as rotinas

o arsenal dos retoques

uma pessoa anda na fona dum lado para o outro, a saltar de estúdio em estúdio, e depois vai ali ensaiar e mais nananana… para se manter vagamente decente, a pessoa mantém uma pequena colecção de produtos (alguns bastante prosaicos) sempre à mão — seja no carro ou na mala.

e cá estão eles.

mais sobre os produtos

favoritos do meu cabelo oleoso

há muito tempo que não vos actualizava acerca do que tenho andado a usar no que toca a cuidados de cabelo…

aqui ficam os produtos que tenho gostado muito de usar, bem como algumas manigâncias que tenho feito para o manter minimamente decente.

Continue reading “favoritos do meu cabelo oleoso”

pele de Outono

já andamos de manga curta e a rogar pragas por não termos trazido um casaco, ao fim do dia. o Outono está aí, em toda a sua gloriosa bipolaridade, e é uma boa altura para fazer uma revisão à gaveta dos cremes.

hoje falo dos meus produtos preferidos para acelerar a regeneração da pele (não vale brincar com estes sem SPF, é batota da que dá hiperpigmentação) e para uma generosa hidratação.

Continue reading “pele de Outono”

os líquidos e a bagagem de cabine

se padecem do mesmo problema que eu — ter de mandar a bagagem de 3 dias para o porão porque os líquidos e a segurança —, peguem na vossa bebida preferida e saibam como dei a volta à questão sem abdicar dos meus queridos produtos que mantêm a minha cara do lado de cá do ataque de nervos.

Continue reading “os líquidos e a bagagem de cabine”

dicas para encarar tutoriais de maquilhagem

especialmente para aqueles que têm uma relação um pouco mais distante (e saudável) com maquilhagem, que querem de vez em quando aprender umas coisitas novas, abrem o YouTube e levam com uma overdose de informação tal que querem mais é voltar para a cama, enrolar-se tipo bicho de contas e voltar a usar só batom de cieiro.

espero que este vídeo, apesar de longo, vos ajude a ultrapassar o medo de arriscar, de brincar, e também ajude a compreender melhor o que tirar de cada tutorial. vamos brincar com pinturas!

5 dicas para melhorar a “pele de inverno”

Bebam água!

E pronto, cá têm o artigo que vai mudar a vossa vida desta semana. na próxima há mais!

Eheh, agora a sério

winter skin
alguns dos meus tesouros. deixo-vos alternativas mais acessíveis neste post

não sei se vos acontece o mesmo, mas eu tenho aquele tipo de pele que fica muito desidratada no inverno (frio, ares condicionados, aquecimentos, etc.) — 3 ou 4 horas depois de começar a trabalhar já sou só uma passa engelhada cheia de peles secas e rugas e o brilho já era. MAS não posso barrar-me com hidratante de manhã: fico uma banheira de óleo sem retorno, simplesmente escorre por mim abaixo e leva a minha maquilhagem atrás. raisparta que, apesar de desidratada, a minha pele bebe a hidratação aos golinhos como se tivesse nojo do copo, mas depois engole-me a base como uma garganeira. pareço eu com sopa e chocolates, respectivamente.

além disso, no que toca ao tratamento de pele, eu tenho um esquema, um sistema (anti-oxidantes de manhã, retinóides à noite), por isso acabo por não encontrar onde encaixar aquela dose extra de hidratação sem sentir que estou a diluir o efeito dos produtos espectaculares e estupidamente caros. ainda por cima, à noite, se ponho uma boa dose de creme hidratante, a minha cara cola-se à almofada e consigo ouvir 10€ de produto a hidratar o algodão da fronha (não a minha, a da almofada).

tive de arranjar umas maneiras de dar a volta à situação, e estas têm resultado comigo:

  1. Acrescentar um novo momento de tratamento ao fim do dia de trabalho
    Quando chego a casa e tenho pelo menos 4 ou 5 horas até ir para a cama, altura em que faço a minha rotina da noite. A minha pele já levou porrada dos suspeitos do costume.
    Por isso, em vez de deixar tudo para a noite, faço a minha limpeza dupla mal chego, usando um bálsamo mais espesso depois de retirar a maquilhagem. Passo o tónico esfoliante como de costume e depois aplico um óleo nutritivo e uma boa camada (quase como se de uma máscara se tratasse) de creme hidratante.
    À noite, só tenho de fazer uma limpeza rápida e estou pronta para o meu tratamento habitual.
    Se tiver pachorra, antes do óleo/hidratante faço uma máscara, habitualmente do tipo regenerador/esfoliante.
  2. Andar com hidratação na mala
    Uma boa bruma hidratante em spray não tem de custar um rim, é fácil de levar na mala e não destrói a maquilhagem (se a estiver a usar). Tirar 10 segundos depois daquele telefonema de trabalho irritante para arrefecer é mais fácil com umas borrifadelas de uma bruma hidratante, e a pele agradece. Alivia, dá saúde, e pode repetir-se as vezes que apetecer ao longo do dia.
    Se noto que estão a aparecer montículos de peles secas e a minha maquilhagem está a começar a ficar pastosa e seca (portanto diariamente a meio do dia de trabalho), também aplico com pancadinhas  (sem esfregar) um bocadinho de creme hidratante nessas zonas e nos pés de galinha que se fincam ao largo dos olhos com o passar do dia. Basta decantar o nosso preferido para um potezinho de viagem, ou usar uma daquelas amostras que nos deram na Sephora — ou que talvez tenhamos recebido na Beauty Box da Look Fantastic e ainda não tivemos hipótese de experimentar.
    Quando estou em casa tenho sempre um hidratante ao pé do computador ou na sala para ir re-hidratando a pele ao longo do serão, se a sinto a secar. A preguiça aguça o engenho, já dizia não sei quem.
  3. Proteger a pele no banho
    É no inverno que tomamos aqueles banhos e duches a temperaturas que derreteriam o mais gélido dos corações. A nossa pele sofre e o grito de ajuda ouve-se plenamente quando saímos da banheira e a pele está seca e toda esticada, prestes a rebentar pelas suas delicadas costuras.
    Baixar a temperatura da água não é uma hipótese, eu tenho sempre muito frio.
    Já falei disto de passagem num dos meus vídeos, mas eu gosto de usar um dos meus cleansers mais espessos (porque adere à pele e não se dilui com alguns borrifos de água) como uma espécie de barreira protectora. Antes de entrar no duche aplico uma boa camada de bálsamo de limpeza, e tento manter a cara fora do alcance da água (a pose chama-se “Orgulhosa de costas para a água”). Quando termino, é só retirar o que sobra do cleanser com um paninho húmido como de costume e a minha pele não está em modo Alerta Vermelho.
  4. Esfoliar
    Quando está chuvoso e nublado é quando eu faço o maior festim das maravilhas dos ácidos Glicólico e Láctico para corroer as células mortas e estimular a regeneração da pele, sem estar tão preocupada com a exposição solar no dia seguinte. Normalmente uso um dos ácidos como o único tratamento antes de ir dormir durante umas 5 noites seguidas uma vez por mês, e a minha pele agradece o empurrão. Nunca se esqueçam de usar algum tipo de SPF, ou ela dá-vos um valente coice.
    O ácido Láctico é mais suave do que o Glicólico, portanto é encontrar um à medida das necessidades.
    Além disso, gosto de esfoliar fisicamente a minha pele um par de vezes por semana, seja com uma escova vibratória ou com um esfoliante à antiga, e adoro os resultados imediatos — com meiguice, sempre. Nunca o faço quando estou a tratar a pele com os ácidos.
  5. No que toca a maquilhagem, mudar para cremes!
    Substituir o bronzeador, contorno, blush e iluminador por versões em creme e usar um pó ligeiro apenas se e onde for mesmo essencial faz toda a diferença.
    Os cremes são muito fáceis de esbater na pele e têm um acabamento mais fresco e iluminador da pele — e ganha pontos porque se pode aplicar tudo com os dedos e só precisamos de uma esponja ou pincel para esbater no fim, borrifar um spray fixador e ala que se faz tarde!

Produtos recomendados (para todas as bolsas):
Bálsamos para a segunda limpeza: Emma Hardie Moringa cleansing balmOskia Renaissance Cleansing Gel, ou, mais barato, Ultrabland da Lush.
Óleos: estou a usar o Kypris 1000 Roses, mas espreitem as opções mais em conta da Pixi como o Rose Oil Blend ou o Hydrating Milky Serum, ou até a gama super acessível de óleos e séruns da The Ordinary.
Cremes Hidratantes: como se pode notar pelo óleo da Kypris, ainda estou em fase de lua de mel com as maravilhas da última Beauty Box da Caroline Hirons+Cult Beauty, por isso tenho usado o Zelens 3T Complex Anti-Ageing Cream, mas algo como o  First Aid Beauty Ultra Repair Cream não falha e é super leve, podendo reaplicar-se as vezes todas que apetecer sem nunca se sentir pesado ou oleoso.
Máscaras: Peter Thomas Roth Pumpkin Enzyme Mask é bastante forte e sente-se a formigar na cara, a Oskia Renaissance Mask é mais suave e adequada a peles mais sensíveis.
Brumas hidratantes:  Eau Roma Water da Lush, e as brumas Glow Mist e Hydrating Milky Mist (esta é mais leve mas cheia de Ácido Hialurónico) da Pixi.
Esfoliação com Ácidos: Alpha H Liquid GoldSunday Riley Good GenesThe Ordinary Lactic Acid.
Esfoliação Física: ForeoClarisonicLush Cup O’ Coffee.
Maquilhagem em creme: toda a gama de “bochechas” da Colour Pop, para contorno, Maybelline Master Contour (supermercados), para blush os Maybelline Baby Lips Make me blush, ou um dos Kiko Rebel Bouncy Blushes (edição limitada, mas ainda à venda) e o Soleil Tan de Chanel é o meu bronzeador preferido de todos os tempos.
Sem orçamento para maquilhagem de momento? Podem sempre ganhar um tom dourado usando um pouco da vossa base de verão (talvez diluída com uma gota de óleo) ou BB Cream, e porque não usar o batom como blush?

*bebam água e chá, sim, pessoas, mandem reforços por dentro!

no-makeup makeup para pele com textura

há uns e outros que saem de casa sem nada, ou esfregam à pressa um hidratante com cor ranhoso, ou empilham camadões de produtos na cara e ficam sempre impecáveis. depois há os meros mortais, que suspiram por parecer que não têm nada na cara enquanto disfarçam acne, rugas, linhas, zonas secas e cicatrizes. e já se sabe: quanto mais camadas, mais se destaca a textura, portanto… que raio é que uma pessoa faz?
para aqueles que, como eu, caminham diariamente neste limbo e caem demasiadas vezes na tentação de acumular estuque na cara na esperança de encher os buracos e alisar os altos, resolvi filmar um tutorial com o “as good as it gets”, inspirado nas técnicas despretensiosas de duas maquilhadoras fantásticas com quem tive a honra de me cruzar num filme, na Lisa Eldridge, e na vidinha de que padeço.
também conseguimos ter um ar bastante natural com as imperfeições disfarçadas. só demora mais tempo e gastamos mais dinheiro. era de prever, certo?

se formos a ver bem as coisas, nem é só um no-makeup makeup look, é uma base impecável para toda e qualquer ocasião, com a qual podemos bombar um smokey eye ou sair à rua só com rímel em modo “eu acordei assim… mais ou menos”.

dito isto, a quem não tem pachorra ou tempo (eu muitas vezes não tenho), é sair de peito erguido com as imperfeições perfeitas que nos fazem especiais.

Continue reading “no-makeup makeup para pele com textura”

usar protecção solar sem lixar a maquilhagem

 

hoje venho falar-vos de três produtos que podem ajudar todos os não-pitxitxis da beleza que têm vidas normais, que andam na rua e expostos ao sol (muito ou pouco, não importa), e que querem proteger a pele sem terem de abdicar de usar maquilhagem.

Continue reading “usar protecção solar sem lixar a maquilhagem”