maquilhagem da Lush

finalmente, quando já ninguém quer saber, comprei produtos de maquilhagem da Lush para testar. a base sólida Slap Stick (N11), o iluminador/blush sólido Glow Stick (Pipit) e um batom refill (Cairo) com a respectiva embalagem em tubo .

são produtos à base de óleos e ceras, com fórmulas muito semelhantes entre si (com fragrância). a marca tem uma abordagem muito interessante aos materiais e embalagem, com um grande foco na reciclagem e sustentabilidade: as caixas são de cartão e os produtos vêm total ou parcialmente envoltos numa película de cera, para preservação e/ou para serem manuseados sem se desfazerem nas mãos.

depois de aberto, o batom tem de ser colocado num tubo da Lush (ou numa paleta tipo as da Vueset), nem dá para ir tirando e trocando de batons no mesmo tubo, porque não vem com embalagem extra onde guardar.

se querem ver como foi a aplicação, o resultado e a “usabilidade” dos produtos na minha pele mista, é ver o vídeo.

encontram os produtos na loja online da Lush, mas, pelo menos até antes da Nova Peste, não estavam disponíveis em loja para se experimentar/ver cores.

Colour Pop Lux Lipsticks

De vez em quando, cai-me a pergunta: porque é que, mesmo pagando alfândega, continuo a comprar Colour Pop.
Já disse muitas vezes, e repito: mesmo com as taxas de alfândega, cada item sai a cerca de 8€. E, em termos de qualidade, tudo o que experimentei da marca está muitos furos acima de coisas que, por cá, custariam 12, 15, 20… ou mais.

Falando da minha compra mais recente: resolvi fazer um guarda-roupa de batons, com os recentemente lançados Lux Lipsticks. Já experimentei batons de 30€ são medíocres. Estes são extraordinários. A fórmula, a pigmentação, mesmo a embalagem, tudo grita batom do bom e do melhor.
E a panóplia de cores dá para arranjar uma para cada ocasião.

clica para os links